Deletei o título desse post sem querer

Existem Mias Thermopolis e existem Lanas Weinbergers. Quando se trata de Mias, você pode ser o antes ou o depois (usaremos a Mia do filme para uma melhor visualização). Eu, definitivamente, sou o antes. Sou aquela que cai o tempo todo, derruba coisas o tempo todo, leva bolada na cara (e eu ainda lembro da última e mais dolorosa).
Anna Vitória já falou sobre isso e com toda a classe que um salto agulha valsando na cara da sociedade pode demonstrar, mas preciso manifestar a necessidade que eu percebo crescente. Vamos criar um país para os desastrados. Vamos, por favor. Eles (eu) precisam(o).
Espero pelo dia em que o chão vai ser mágico e por mais que pareça bem firme, vire um pula-pula no momento daquela queda inesperada. Copos serão feitos de material indestrutível, jarros de suco jamais poderão ser ultrajantemente derrubados no almoço de família, pés não virarão sozinhos enquanto você está sentada. Quinas de móveis serão inofensivas e o equilíbrio… ah, o equilíbrio vai ser um dom compartilhado em igual quantidade entre todos os seres humanos.
Eu clamo por um país das maravilhas onde ninguém fique bem fazendo cover de mendigo em casa, porque realmente passar por mendiga está acabando com a minha auto-estima. Clamo por um país onde nosso potencial destrutivo seja exaltaltado. Analu seria um frasco concentrado de destruição, Anna Vitória seria ovacionada por sujar a cozinha inteira de molho de salsicha, Deyse seria Monarca Absoluta por cair em locais nada convencionais e eu seria Embaixadora Da Torção de Pé. Me amariam pelo meu talento especial.
Chega de esperar pelas minhas lições de princesa. É hora de assumir a Mia Thermopolis before makeover que existe em mim. E todo o bad hair day que vem de brinde.

Anúncios